Mato Grosso do Sul- Bonito

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Cheguei no aeroporto de Campo Grande e peguei uma Van de lá até Bonito que custou 80,00. O trajeto levou mais ou menos 4:30h até meu hotel.

Era para eu ter ido de carro com as meninas do Quarteto Pelo Mundo, mas meu voo atrasou muito e não consegui chegar á tempo. Alugamos um carro pela ReserveCar que é uma ótima plataforma de aluguel de carro que compara preços em todas as locadoras disponíveis na cidade onde você for! Eles estão presentes em 120 países, e é tudo super rápido, prático e seguro.

Sobre o caminho de Campo Grande para Bonito, a estrada no geral é super tranquila, porém fiquem atentos!

O caminho da foto abaixo é o mais utilizado, no entanto alguns GPS mandam por Aquidauana, o qual apesar de ser mais curto, tem uma longa estrada de terra que torna a viagem mais demorada e mais perigosa.

O Caminho correto:

Campo Grande, Sidrolândia, Nioaque, Guia Lopes da Laguna e Bonito = 300km em asfalto.

Sugestão de parada: Posto Tuiuiú, que fica em Nioaque.

Preço da gasolina em Bonito: R$ 4,58

Localizada há 265km de Campo Grande, a cidade é o principal destino turístico da Serra da Bodoquena, na boca do Pantanal e em pleno cerrado. De alguns anos para cá, ela virou uma espécie de modelo nacional, devido às práticas sustentáveis que proporcionam a mínima interferência no ambiente.

Acordamos ao som dos pássaros e tucanos na Pousada Águas de Bonito, um  lugar super confortável que tem a natureza presente, estrutura maravilhosa com piscina aberta e coberta, área de lazer, academia, restaurante e ainda por cima uma agência de turismo dentro dela, que fez  nosso roteiro de passeios pela cidade e ainda alugam  DOME e GOPRO. Você quer mais o que? Eu nada, realmente amei essa pousada.

Para quem não conhece o MeuDome é o primeiro dome para câmera GoPro desenvolvido e fabricado no Brasil, equipamento que permite retratar simultaneamente o que se passa acima e abaixo da linha d’água com precisão e qualidade de imagem surpreendente. Acessório que não pode faltar na viagem, nesta postagem vou colocar algumas fotos que fiz com ele.

Voltando a falar sobre a pousada, lá tem uma tal da merenda pantaneira, que é um café da tarde regional servido todos os dias aos hóspedes como cortesia. O objetivo é trazer um pouco do gostinho de fazenda, servindo quitutes regionais, bolos, cafés, pães e outras coisas maravilhosas. Para quem não está hospedado lá e quer conhecer eles cobram o valor de 23,00 reais. Vale muito a pena.

Após um café da manhã cheio de opções, delicioso seguimos com nosso carro alugado pela ReserveCar para a Gruta do lago azul,  que fica a 21 km (40 min) do centro de Bonito MS. O passeio é contemplativo por dentro de uma caverna, a qual é uma das maiores cavidades inundadas do planeta.
O passeio começa com uma trilha de 200m até a entrada da cavidade onde o caminho é lapidado em rocha. Ao descer na Gruta do Lago Azul, encontra-se uma escadaria íngreme com em torno de 300 degraus e que equivale a 150m de altura até o lago. As águas azuis são tão lindas que dá vontade de mergulhar nelas, mas não pode. Durante a descida, que é bem tranquila, o guia faz algumas paradas para tirarmos fotos.
Ao final da descida, permanecemos por aproximadamente 10 minutos para contemplar as águas de azul turquesa. É um lugar lindo demais.
Declarada monumento nacional pelo Iphan, a gruta é conhecida pelo lago de 90m de profundidade com água extremamente azulada, em efeito ótico causado pela entrada de luz.
Segundo os guias que atuam na gruta, a melhor época para visitar o local vai de dezembro á fevereiro. De preferência de 8h30m até 9h30m, quando a luz do sol incide sobre águas que parecem tingidas, artificialmente.
Duração: 90 minutos
O que levar: repelente, água, câmera fotográfica e dinheiro.
Valor: 50 reais
Dica: É obrigatório uso de tênis.
Foi a primeira viagem do Quarteto Pelo Mundo sem uma das integrantes. Por conta da data da viagem, ela não conseguiu ir.
Depois seguimos para as Grutas de São Miguel, que ficam há 04km de distância da Gruta do Lago Azul.
Fomos recebidas por mais de 30 araras lindas, ficamos extremamente encantadas.
Localizado há 18,5 Km da cidade de Bonito-MS, o Passeio de visitação a Gruta de São Miguel é um passeio também bastante contemplativo. Ele tem início com uma trilha interativa suspensa de 5m de altura e percorre 200m até o primeiro mirante onde se pode observar o vale e a vegetação do local – mata atlântica e cerrado.

A caminhada continua por 150m por passarelas de madeira até o segundo mirante.  Após outros 150m, inicia-se a visitação no interior da caverna.

Dentro da Gruta de São Miguel há iluminação artificial e usa-se lanternas onde podemos avistar as formações espeleológicas como estalactites, estalagmites, colunas e coraloides onde era o fundo de um mar antigamente.

Duração: 90 minutos

O que levar: repelente, água, câmera fotográfica.

Valor: 50,00 reais
Obrigatório uso de tênis.
Após isso, seguimos para nosso terceiro passeio do dia, a Nascente Azul que fica á 48km de distância de onde estávamos, por isso optamos por alugar um carro para não ficarmos presas com horários de vans de um passeio para o outro e podermos explorar melhor cada lugar até mesmo a estrada.

Chegamos e já almoçamos uma comida maravilhosa self-Service em um lugar que tem uma estrutura ótima para aproveitar o dia, incluindo atrativos como tirolesa, flutuação, mergulho com cilindro e um balneário em que se pode mergulhar.

Localizado há 29 km da cidade de Bonito – MS, o passeio de flutuação da Nascente Azul é feito na nascente do Rio Bonito.

O acesso a flutuação da Nascente Azul é feito através de uma trilha contemplativa de aproximadamente 300 m até chegar à sala de equipamentos para a flutuação.

Na sequência, faz-se a segunda parte da trilha de 1500 m pela Floresta de Bacuri ( grandes arvores nativas de frutos amarelos que levam o mesmo nome).

Já na Nascente Azul, o guia faz um pequeno treinamento com todos e logo se inicia a flutuação. É possível fazer apneia.

Tem muitos peixes e a água é bem clarinha, foi minha primeira flutuação fiquei preocupada com a questão de cansar de nadar mas o rio vai levando então fica mais fácil. As horas passaram muito rápido pois ficamos o tempo todo com a cabeça dentro da água, olhando esse mundo dos peixinhos que nem nos demos conta do tempo.

O passeio proporciona acessibilidade e total interação à crianças e pessoas com dificuldade de locomoção e na melhor idade, não é demais.

Eu adorei o passeio.

Duração: 150 minutos

O que levar: água, câmera fotográfica subaquática, dome, toalha, roupa de banho, roupa seca
para se trocarem após o passeio, elástico para cabelos, dinheiro para pagamento da taxa e
extras (souvenirs, consumos). Não é permitido usar tripé ou drone.
Inclusos: máscara, snorkel, roupa de neoprene, sapato de neoprene.
Não é permitido usar na flutuação repelente ou protetor solar.
Valor: 170,00 reais
Todos esses acessórios de mergulho levamos da FunDive, inclusive a botinha que usamos mais que sapato lá, rs.
Voltamos mortas para o hotel, porém ainda tínhamos mais um passeio porque a gente é dessas que viaja e quer aproveitar até o ultimo minuto do dia.
Fomos conhecer o Projeto Jiboia que é uma apresentação divertida sobre Jobóias e serpentes com o Henrique Naufal e no final para quem gosta tem a oportunidade de fazer diversas “selfies” com uma Jibóia.

Jantamos no restaurante da Juanita, que foi uma fofa, ela veio até nossa mesa nós recepcionar, experimentamos o famoso “Pacu na Brasa”, que deeeelicia!
Dia 2
Começamos o dia com o passeio na estância mimosa, localizado há 24 Km da cidade de Bonito-MS. O Passeio de Trilha e Cachoeiras da Estância Mimosa começa a 1.800m da casa do receptivo até o caminho que dá início a trilha de 2.800m metros (ida e volta), com trecho de barco á remo por 500m. Ao longo da trilha existem 7 cachoeiras disponibilizadas para banho e algumas com pequenas grutas. As que eu mais gostei foram a Cachoeira do Sol e a do Senhorzinho, que tem uma energia incrível, ótima para banho.

Tivemos a oportunidade de desfrutar a vista das cachoeiras e mirantes, morros que formam o vale por onde passa o Rio Mimoso e de atravessar pelas passarelas suspensas e os mirantes dentro da mata ciliar.

Duração: 240 minutos

Valor: 104,00 reais.

Ao final do passeio voltamos para a sede da fazenda por conta do almoço (opcional) que é feito e servido em fogão á lenha, com cardápio típico sul-mato-grossense de pratos quentes, saladas e doces artesanais, como o DOCE DE LEITE, que foi melhor de todos, até comprei para comer em casa.

Também tem uma lagoa de jacarés para contemplação, na hora do almoço conseguimos ver alguns.

*Biquínis e Maiô são da Kalini.

Depois seguimos para o parque ecológico do rio formoso    (32km de distância entre ambos, da estância mimosa para parque ecológico) localizado há 7 km do centro de Bonito MS. Fizemos o Passeio de Boia Cross no Parque Ecológico, que começa com uma trilha interpretativa de 900m através da mata ciliar do Rio Formoso até o ponto onde se inicia a descida pelo rio, passando por 8 corredeiras, dando um percurso total de 1.200m com a companhia do monitor especializado. Foi muito divertido, amamos e no meio do passeio vimos uma família de macaquinhos.

Ao final do passeio, voltamos na sede da fazenda através de uma trilha de 200m até o receptivo.

O atrativo conta com: área de descanso, lago, stand up paddle, caiaque, tirolesa, banheiros e restaurante.

Duração: 60 minutos

O que levar: água, câmera fotográfica subaquática GoPro (usar bastão flutuador, clipe ou a cordinha
melhor para não perderem), toalha, roupa de banho, roupa seca para se trocarem após o
passei.
Inclusos: capacete e colete salva-vidas.

Valor: 100, 00 reais

De noite, fomos comer na pizza zap zen, que tem uma pizza leve e saborosa e após o jantar conhecemos a praça da cidade.

Passamos em um barzinho que chama BonitoBeer. Foi bem legal, lá eles vendem cervejas artesanais com um cartão pré pago e você tem o direito de se servir, provando diversos sabores e podendo colocar quantos ml quiser tomar sem a necessidade de precisar tomar um copo inteiro.

Depois passamos em uma loja chamada Casa do João que tinha todos os produtos regionais e já aproveitamos para comprar presentinhos de Bonito.

Dia 3

O dia que acordamos mais cedo, em torno das 5h para conseguir chegar cedo no passeio que fica localizado há 36 Km da cidade de Jardim-MS e há 50 Km de Bonito-MS. No mesmo local que o Rio da Prata, o Passeio de Flutuação na Lagoa Misteriosa é um passeio que começa com uma trilha interpretativa de 600m até chegar ao mirante de contemplação.

flutuação na Lagoa Misteriosa se realiza em circuito circular e ao sair da lagoa volta-se à casa do receptivo por outra trilha passando cerca de 500m pela mata.

É considerada a quinta caverna mais profunda do país e atinge mais de 220m de coluna d’agua, ela estava bem cheia, então conseguimos fazer diversas fotos divertidas em um plataforma que estava coberta por água.

Ao final da flutuação na Lagoa Misteriosa, os visitantes voltam na sede da fazenda para o almoço (opcional) que tem um cardápio típico sul-mato-grossense com pratos quentes, saladas e doces artesanais.

Curiosidade

A partir de 6 metros de profundidade, a Lagoa Misteriosa é considerada uma caverna de gênese freática, isto é, uma cavidade formada pelo fluxo de água do lençol subterrâneo, sendo uma das mais profundas cavernas inundadas do Brasil, atingindo mais de 220 metros de profundidade, registro feito por Gilberto Menezes de Oliveira em 1998.

Há 8 metros de profundidade abrem-se dois poços, com cerca de 10 metros de diâmetro, que descem verticalmente para mais de 240 metros de profundidade.

Ela tem acesso para cadeirantes através de uma tirolesa, onde desce os equipamentos para fazer mergulho de cilindro.

Devido as condições climáticas, durante o período de meados de outubro até meados de abril as atividades de Flutuação e Mergulho com cilindro na categoria Batismo ficam suspensas devido a proliferação de microalgas.

O melhor horário  é 11h, quando o sol está bem em cima da lagoa, pois assim a água fica mais clara, fomos muito cedo e quando estávamos indo embora o sol estava chegando e mudando completamente o lugar.

Duração: 100 minutos

O que levar: mochila com água, câmera fotográfica subaquática, dome, toalha, roupa de
banho, roupa seca para se trocarem após o passeio, dinheiro para pagamento da taxa e extras
(souvenirs, consumos).

Obrigatório usar calçado fechado (tênis ou bota de neoprene)

Inclusos: colete salva-vidas, máscara e snorkel.
Opcionais: locação de bota de neoprene, locação da roupa de neoprene.

Não é permitido usar repelente ou protetor solar na flutuação.

Valor: 158,00 reais

Depois seguimos para o passeio do Recanto Ecológico Rio da Prata a sensação que tive era de estar  flutuando dentro de um aquário tinha muitos peixeis e a água cristalina, localizado há 36 Km da cidade de Jardim-MS e a 45 Km de Bonito-MS.

Fizemos uma flutuação nos Rios Olho d`Água (por cerca de 1.800 metros), contemplamos toda a vegetação subaquática,  vários peixes e duas nascentes do rio. Pode se fazer esse passeio até 09 pessoas por vez, acompanhados por um guia credenciado.

No término da flutuação no Rio da Prata, o transporte nos leva de volta à sede da fazenda onde tem um almoço maravilhoso para variar um pouco, o lugar que tem comida boa.

O que levar: água, câmera fotográfica subaquática, dome, toalha, roupa de banho, roupa seca
para se trocarem após o passeio, elástico para cabelo, dinheiro para pagamento da taxa e
extras (souvenirs, consumos). Repelente: poderão colocar na sacola que será entregue ao final
do passeio, quando finalizarem a flutuação poderão passar.

Inclusos: colete salva-vidas, máscara e snorkel.

Não é permitido usar na flutuação repelente ou protetor solar.

Duração: 240 minutos

Valor: 240,00 reais

Após essa flutuação seguimos para o terceiro passeio do dia: o Buraco das Araras (10km de distância entre ambos)

Localizado há 54 Km da cidade de Bonito-MS, o Passeio de Trilha Contemplativa no Buraco das Araras é um passeio ao redor de uma dolina (formação geológica oriunda do desmoronamento do teto de uma caverna).

São 970m de trilha e o trajeto passa por 2 mirantes com o destaque para observação de aves.

No Buraco das Araras, tivemos a oportunidade de observar de aves de longe, especialmente as araras vermelhas, dentro e nas proximidades de uma das maiores dolinas da América do Sul. Se quiser vê-las de perto vá na Gruta de São Miguel pela manhã.

Duração: 90 minutos

Valor: 68,00 reais

De noite, fomos jantar no Restaurante chamado Casa do João. De entrada experimentamos a famosa carne de jacaré, comemos um cheviche de jacaré maravilhoso, lembrava gosto de frango mas com uma consistência mais durinha. Amamos demais.

E depois ainda fomos comer uns docinhos na Vicio da Gula, eu provei o bombom de Jaracatiá que é feito do caule da árvore. Vale muito ir lá comer, tem diversos doces maravilhosos e os donos são uma fofura.

Dia 4

Último dia, acordamos e fomos para o um dos passeio que mais gostei na Boca da Onça, localizado há 34 Km da cidade de Bodoquena-MS e há 55 Km da cidade de Bonito-MS.

Fizemos o Rapel Boca da Onça que possui uma estrutura metálica de 34m de comprimento,  a qual avança 15m sobre um precipício que dá início a descida, em negativo, os 90m de altura.

É o maior rapel de plataforma do Brasil com a vista do cânion do Rio Salobra e os paredões de calcário que estão ali há milhões de anos. Chegamos lá embaixo e continuamos a trilha com paradas para banho em cachoeiras lindas,  passamos por 8 cachoeiras com 4 paradas para banho, uma das paradas é a Cachoeira da Boca da Onça com 156m de altura, a maior cachoeira do estado de Mato Grosso do Sul.

Durante o percurso, tem uma escadaria íngreme de 800 degraus que pode ser feita subindo ou descendo dependendo do lugar de início do passeio; bem no meio do trajeto tem uma parada adicional no quiosque de apoio com bar e sanitários.

A volta ao receptivo da Boca da Onça, poderá se realizar pela subida dos 800 degraus.

O atrativo conta com: restaurante, loja de souvenires, sanitários adaptados para cadeirantes, vestiários, 2 piscinas com água corrente, ducha natural, redário e um quiosque de apoio na trilha.

Ao final do passeio voltamos para a sede da fazenda para o almoço que é servido em fogão a lenha, com cardápio variado de pratos quentes, saladas e doces típicos da região.

Sentir e poder desfrutar dessa natureza foi um privilégio, voltamos com a energia renovada.

O que levar: mochila com água, comidinhas, câmera fotográfica subaquática, dome, toalha,
roupa de banho, roupa seca para se trocarem após o passeio, repelente, protetor solar,
elástico para cabelos, dinheiro para pagamento da taxa e extras (souvenirs, consumos).
Sobre o rapel: usar roupa confortável (pois irão presas no equipamento de cadeirinha), não
esquecer do elástico para cabelos (para não prender cabelo no cabo de aço).
Obrigatório usar calçado fechado (tênis ou bota de neoprene)

Opcionais: locação de bota de neoprene.(Eu levei de casa e usei muito mais que meu chinelo)

Duração Rapel: 360 minutos

Valor: 464,00

Duração Passeio: 360 minutos

Valor: 218,00

Voltamos no final de tarde para o Hotel e aproveitamos um pouco da piscina e toda a estrutura, jantamos por lá mesmo e por sinal a comida é muito boa.

No dia seguinte fomos embora, foi uma viagem muito especial pois estávamos totalmente longe da praia e perto de rios e cachoeiras, nunca havíamos feito nenhuma trip com essas características. Foi uma energia surreal, só faltou a Ale, então ano que vem vamos voltar com ela e fazer outros passeios que não deu tempo dessa vez, como o abismo do Anhumas, que era um dos passeio que nós mais queriamos fazer mas que precisaríamos de mais dias. Se fizéssemos não iriamos conseguir fazer todos os outros passeios e como essa foi nossa primeira vez optamos por fazer mais coisas.

Até a próxima aventura, qualquer dúvida podem me perguntar pelo meu instagram.

beijos

@thataluz